SEJA BEM VINDO!

__________________________

"Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim."
[Chico Xavier]


"Aimez-vous les uns les autres"

S-E-G-U-I-D-O-R-E-S

terça-feira, 31 de março de 2009

AS MUDANÇAS NA ORTOGRAFIA BRASILEIRA



À primeira vista fiquei um pouco revoltada com a idéia, pois tinha acabado de adquirir um manual de gramática que vinha namorando há tempos, mas tudo bem! Em seguida, comecei a refletir pela milésima vez o porquê de não falarmos castelhano, já que todos os nossos vizinhos latinos o fazem...


Revoltas à parte, me propus a iniciar uma pesquisa e um processo de “entranhamento” das novas regras em minha vida, o que realmente não está sendo nada fácil, principalmente pelas dúvidas constantes de todos os que me cercam, mas venho notando que essas mudanças vieram com o objetivo de facilitar a vida dos brasileiros, pelo menos no que diz respeito à escrita.


Depois de tudo isso, comecei a receber chuvas de informações, de pessoas que querem ajudar, contribuir de alguma forma e, em 02 de Março p.p., recebi em minha caixa de e-mails a coluna do competentíssimo Carlos Lima, esta disponível em sua versão original e integral através do site da Revista do Factoring – da qual já tive a honra se escrever como colunista -
http://www.revistadofactoring.com.br/novo/colunistas_coluna_artigos.asp?id_tb_colunista=26&item=colunistas

Por isso, gostaria de dividir esse presente com vocês, pois imagino que, por ter recebido diretamente do Carlos através de um e-mail, ele não se importaria com a divulgação, portanto, segue na íntegra:


“Um café da manhã ou um pequeno almoço? Após a assinatura do decreto sobre o acordo ortográfico da língua portuguesa em setembro do ano passado, é necessário ficar atento na comunicação:- Por favor, quero pão com lingüiça.
- Desculpe senhor, mas só temos linguica.
- Então me manda o lanche pela revisão nova mesmo!
Muita dúvida se gerou e muitas pessoas (inclua-me na lista) ainda estão meio atordoadas, pesquisando e tentando encontrar uma maneira de escrever corretamente. Estamos na verdade rezando para que haja uma revisão no pacote do Office (1) e que as correções “pipoquem” automaticamente em nosso documento do Word (2), ou em nossa mensagem no Outlook (3).
A título de nivelamento de informação, a reforma ortográfica vem sendo discutida desde 1990 pelos países que integram a CPLP (Comunidade de Países de Língua Portuguesa): Brasil, Portugal, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique, Guiné-Bissau e Timor Leste.
Vanguarda... O Brasil será o primeiro país a implementar as regras oficialmente. As mudanças serão feitas gradativamente e começaram em 1º de janeiro de 2009, com um prazo de conclusão até o início de 2013. Neste ínterim, ambas as formas devem ser aceitas.Alguns jornais e veículos de comunicação já estão praticando a nova revisão.
As novas regras:O trema, que já foi suprimido na escrita dos portugueses, desaparece de vez também no Brasil. Por exemplo 'lingüiça', passará a ser grafada sem o sinal gráfico sobre a letra 'u'. Exceção: nomes estrangeiros e seus derivados, como 'Müller'.
Seguindo o exemplo de Portugal,
paroxítonas com ditongos abertos 'ei' e 'oi', como 'idéia', 'heróico' e 'assembléia', deixam de levar o acento agudo.Também deixa de existir o acento circunflexo em paroxítonas com duplos 'e' ou 'o', em formas verbais como 'vôo' e ‘crêem’.
Com o acordo,
o alfabeto passa a ter 26 letras, com a inclusão de 'k', 'y' e 'w'. A utilização dessas letras permanece restrita a palavras de origem estrangeira e seus derivados. Hífen...Esta palavra é traiçoeira por si só. Certa vez ouvi um garoto, estudante do curso primário, referir-se ao sinal gráfico como hímen... que inclusive é uma das poucas palavras que podem terminar em “n”. Superado o trauma da confusão gráfica, as regras de utilização do hífen também ganharam nova sistematização. O sinal será abolido em palavras compostas em que o prefixo termina em vogal e o segundo elemento também começa com outra vogal, como em aeroespacial (aero + espacial) e extraescolar (extra + escolar). Já quando o primeiro elemento finalizar com uma vogal igual à do segundo elemento, o hífen deverá ser utilizado, como nas palavras 'micro-ondas' e 'anti-inflamatório'. Nos casos em que a primeira palavra terminar em vogal e a segunda começar por 'r' ou 's', essas letras deverão ser duplicadas, como na conjunção 'mini' + 'saia': 'minissaia'. Espero que ajude, por enquanto, mas sugiro que se compre algum livro que traga todas as regras em detalhes. Aproveite que temos alguns anos para aderir 100% à regra, e não deixar para a última hora vindo a cair de paraquedas (e não pára-quedas) no tema.E cuide bem da nossa língua, pois como dizia Fernando Pessoa, ‘a ortografia também é gente’. Um abraço, Carlos Lima”. (Inseri destaques para facilitar, mas não constavam do texto original)

PARA FIXAR ainda mais, encontrei no site www.g1.globo.com uma síntese das regras atuais comparadas com a ortografia antiga, fornecida pelo Professor Sérgio Nogueira e repasso também a título de ratificação:

O QUE MUDA COM O ACORDO ORTOGRÁFICO
ALFABETO – ganha três letras
Antes -> 23 letras
Depois -> 26 letras: entram k, w e y
TREMA – desaparece em todas as palavras
Antes -> Freqüente, lingüiça, agüentar
Depois -> Frequente, linguiça, aguentar
ACENTUAÇÃO 1 – some o acento dos ditongos abertos éi e oi das palavras paroxítonas (as que têm a penúltima sílaba mais forte)
Antes -> Européia, idéia, heróico, apóio, bóia, asteróide, Coréia, estréia, jóia, platéia, paranóia, jibóia, assembléia
Depois -> Europeia, ideia, heroico, apoio, boia, asteroide, Coreia, estreia, joia, plateia, paranoia, jiboia, assembleia
*Herói, papéis, troféu mantêm o acento (porque têm a última sílaba mais forte

ACENTUAÇÃO 2 – some o acento no i e no u fortes depois de ditongos (junção de duas vogais), em palavras paroxítonas
Antes -> Baiúca, bocaiúva, feiúra
Depois -> Baiuca, bocaiuva, feiura
*Se o
i e o u estiverem na última sílaba, o acento continua como em: tuiuiú ou Piauí

ACENTUAÇÃO 3 – some o acento circunflexo
Antes -> Crêem, dêem, lêem, vêem, prevêem, vôo, enjôos
Depois -> Creem, deem, leem, veem, preveem, voo, enjoos
ACENTUAÇÃO 4 some o acento diferencial
Antes -> Pára, péla, pêlo, pólo, pêra, côa
Depois -> Para, epla, pelo, polo, pera, coa
*Não some o acento dierencial em pôr (verbo)/ por (preposição) e pôde (pretérito) (pode (presente). Fôrma, para diferencial de forma, pode receber acento circunflexo.

ACENTUAÇÃO 5 some o acento agudo no u forte nos grupos gue, gui, que, qui, de verbos como averiguar, apaziguar, arguir, redarguir, enxaguar
Antes -> Averigúe, apazigúe, ele argúi, enxagúe você
Depois -> Averigue, apazigue, ele argui, enxague você
Observação: as demais regras de acentuação permanecem as mesmas

HÍFEN – veja como ficam as principais regras do hífen com prefixos:
Prefixos -> Agro, ante, anti, arqui, auto, contra, extra, infra, intra, macro, mega, micro, maxi, mini, semi, sobre, supra, tele, ultra...
Usa hífen -> Quando a palavra seguinte começa com h ou com vogal igual à última do prefixo: auto-hipnose, auto-observação, anti-herói, anti-imperialista, micro-ondas, mini-hotel
Não usa hífen -> Em todos os demais casos: autorretrato, autossustentável, autoanálise, autocontrole, antirracista, antissocial, antivírus, minidicionário, minissaia, minirreforma, ultrassom
____________________________________________________________________________________
Prefixos -> Hiper, inter, super
Usa hífen -> Quando a palavra seguinte começa com h ou com r: super-homem, inter-regional
Não usa hífen -> Em todos os demais casos: hiperinflação, supersônico
____________________________________________________________________________________
Prefixo -> Sub
Usa hífen -> Quando a palavra seguinte começa com b, h ou r: sub-base, sub-reino, sub-humano
Não usa hífen -> Em todos os demais casos: subsecretário, subeditor
____________________________________________________________________________________
Prefixo -> Vice
Usa hífen -> Sempre: vice-rei, vice-presidente
____________________________________________________________________________________
Prefixos -> Pan, circum
Usa hífen -> Quando a palavra seguinte começa com h, m, n ou vogais: pan-americano, circum-hospitalar
Não usa hífen -> Em todos os demais casos: pansexual, circuncisão"
____________________________________________________________________________________
Para fixar de vez, peço permissão para incluir algumas dicas distribuídas em panfletagem pela Coordenadoria de Revisão Redacional do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia, sendo muitas iguais às destacadas acima:
“- O alfabeto passa a ter 26 letras, com a reintrodução das letras
K, W e Y. Na prática, essas letras ainda estavam presentes na maior parte dos dicionários de língua português. A reforma apenas oficializa essa presença. Ex: Km (quilômetro), W (watt), Kg (quilograma), windsurf, show, kung fu, yin, yang, William, Wallace, Walter, keynesiano etc.- Trema: não se usa mais o trema sobre a letra u em palavras da língua português.
Como era antes -> lingüiça, conseqüência, agüentar, qüinqüênio, freqüente, argüição, delinqüir,
Como é agora
-> linguiça, consequência, aguentar, quinquênio, frequente, arguição, delinquir,
- O trema só deve ser usado em nomes próprios estrangeiros e seus derivados. Ex: Müller, mülleriano, Bündchen, Blue Öyester Cult etc.

ACENTUAÇÃO

- Ditongos abertos não são mais acentuados em palavras paroxítonas.
Como era antes -> heróico, estréia, idéia, colméia, Coréia, mesozóico, andróide, alcalóide, paranóia, platéia, jibóia, hebréia, panacéia, asteróide, (eu) apóio, celulóide.
Como é agora -> heroico, estreia, ideia, colmeia, Coreia, mesozoico, androide, alcaloide, paranoia, plateia, jiboia, hebreia, panaceia, asteroide, (eu) apoio, celuloide.
- Nos ditongos abertos de palavras monossílabas e oxítonas, o acento permanece.

Ex: herói, dói, chapéu, ilhéu, constrói, papéis etc.- Nas palavras paroxítonas, não se usa mais o acento no i e no u tônicos quando vierem depois de um ditongo:
Como era antes -> bocaiúva, cauíla, feiúme, feiúra, boiúna, baiúca.
Como é agora -> boicaiuva, cauila, feiume, feiura, boiuna, baiuca.
- Se a palavra for oxítona e se "i" ou "u" estiverem em posição final (ou seguidos de "s"), o acento permanece.
Ex: Piauí, tuiuiú, tuiuiús etc.- Não se acentuam mais as palavras terminadas em eem ou oo(s).
Como era antes -> vôo, enjôo, dôo (doar), vêem (ver), abençôo (abençoar), crêem (crer), dêem (dar), povôo (povoar), lêem (ler), magôo (magoar).
Como é agora -> voo, enjoo, doo, veem, abençoo, creem, deem, povoo, leem, magoo.
- Não se usa mais o acento diferencial em palavras homógrafas. Observe:
Comi uma pêra. -> Comi uma pera.
Ele pára o carro na calçada. -> Ele para o carro na calçada.
Praticou pólo no Pólo Norte... -> Praticou polo no Pólo Norte...
Os pêlos do gato são brancos. -> Os pelos do gato são brancos.
Atenção! Permanece o acento diferencial no seguintes casos:a) Pôde/pode – pôde é a forma do pretérito perfeito do indicativo do verbo poder, na 3ª pessoa do singular. Pode é a forma do presente do indicativo do verbo poder, na 3ª pessoa do singular. Ex: Ontem Carlos não pôde ir ao cinema, mas hoje ele pode.b) Pôr (verbo)/Por (preposição) – Eu não vou pôr minha confiança em ti por diversas razões ...c) Verbos ter e vir e seus derivados – na distinção entre o singular e o plural na 3ª pessoa, permanece o acento:
Ele tem muitos problemas. -> Eles têm muitos problemas.
Ela mantém a promessa. -> Elas mantêm a promessa.
Paulo vem de Sorocaba. -> Paulo e Ana vêm de Sorocaba.
O professor detém a sabedoria. -> Os mestres detêm a sabedoria.
d) É facultativo o uso do acento circunflexo nas palavras forma e fôrma. Em alguns casos, ele serve para aumentar a clareza do que se quer dizer: Qual é a forma da fôrma do bolo? Qual é a fôrma que tem a forma daquele bolo?e) Não se usa mais o acento agudo no u tônico nas forma verbas (tu) arguis, (ele) argui e (eles) argúem, do presente do indicativo dos verbos argüir e redargüir.

O HÍFEN
1 Com prefixos, usa-se sempre o hífen diante de palavra iniciada por h:
anti-higiênico, super-homem, mini-hotel, co-herdeiro, semi-herbáceo, pan-helênico, proto-histórico, pré-histórico, anti-histeria, ultra-humano, anti-histamínico, extra-humano.
Exceção: subumano (nesse caso, a palavra humano perde o h).

2 Não se usa hífen quando o prefixo termina em vogal diferente da vogal com que se inicia a segunda palavra:
autoescola, coedição, hidroavião, contraoferta, autoajuda, coautor, antiofídico, neoimperialismo, agroindistrial, plurianual, semiopaco, contraexemplo, semiestragado, semianalfabeto, supraocular, contraindicação, extraescolar, ultraelevado, autoeducativo, semiárido.
Exceção: o prefixo co em geral aglutina-se com a segunda palavra, mesmo quando essa se inicia por o: cooptar, coobrigar, cooperação, coordenar, coocupante etc.
3 Não se usa hífen quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por consoante diferente de r ou s:
autopeça, ultramontano, anteprojeto, antipoluidor, microcomputador, coprodução, autoproteção, protoplaneta, geopolítica, antitanqui, supermercado, semicírculo, seminovo, supracitado, euromercado, hidrocarbono, pseudomestre, extracurricular, contrapeso, multivariado.
Atenção! Usa-se sempre o hífen com o prefixo vice: vice-almirante, vice-campeão, vice-rei, vice-adminsitrador etc.
4 Quando o prefixo se une a uma palavra iniciada com r ou s, essas letras são duplicadas:
antirrábico, extrasseco, antissemitismo, contrarregra, neorrealismo, infrasson, antissocial, arquirrival, corréu, biorritmo, contrassenso, antessacristia, suprarrenal, multisseriado, multissecular, antessala, contrarrazão, cosseno, extrarregimental, semirreta.

5 Se o prefixo termina por vogal e a segunda palavra começa com a mesma vogal, usa-se o hífen:
anti-inflamatório, semi-internato, auto-observação, anti-imperialismo, micro-ônibus, micro-organismo, contra-ataque, contra-almirante, micro-ondas, auto-operacional.
6 Se o prefixo termina por consoante e a segunda palavra começa com a mesma consoante, usa-se o hífen:
sub-bibliotecário, super-racista, super-reação, inter-racial, hiper-requintado, sub-brasileiro, hiper-resistente, super-racional, trans-siberiano, hiper-romântico.
Atenção! Nos demais casos não se usa o hífen:
subprefeito, subcategoria, supermercado, supertônica, hipermercado, hipercarga, interbancário, internacional, transcaspiano, transcontinental,
- Com o prefixo sub, usa-se também o hífen diante de palavra iniciada por r: sub-região, sub-raça, sub-resistente etc.
- Com os prefixos
circum e pan, usa-se o hífen diante de palavra iniciada por m, n ou vogal: circum-navegar, pan-americano, pan-mixia, circum-adjacente etc.
7 Quando o prefixo termina por consoante e o segundo elemento começa por vogal, não se usa hífen:
hiperacidez, hiperativo, interescolar, interestadual, transamericano, transalpino, superabundante, superagudo, suburbano, subafluente.

8 Com os prefixos ex, sem, além, aquém, recém, usa-se sempre o hífen:
ex-marido, sem-vergonha, além-mundo, sem-terra, ex-senador, recém-casado, além-mar, recém-eleito, além-túmulo, aquém-mar, ex-prefeito, ex-réu, recém-nascido, sem-teto, além-paraibano.

Nas formações com os prefixos
pós, pré e pró, sempre tônicos e acentuados, usa-se o hífen quando a segunda palavra tem vida própria:
pós-adolescente, pré-ajustado, pró-africano, pós-medieval, pré-nupcial, pró-memória, pós-industrial, pré-saber, pró-saber, pós-glacial, pré-glacial, pró-análise, pós-datado, pré-datado, pró-homem.
Se os prefixos não forem autônomos, não haverá hífen: predeterminado, pressupor, pospor, propor, preenchido, proeminente, preexistente.

9 Deve-se usar o hífen com os sufixos de origem tupi-guarani: Açu, guaçu e mirim. Exemplos: amoré-açu, anajá-mirim, capim-açu.

10 Não se deve usar hífen em certas palavras que, pelo uso, perderam a noção de composição. Exemplos:
mandachuva, paralamas, paraquedas, parachoque, madressilva, paraquedismo, girassol, parabrisa, pontapé, paravento.
11 Permanece o uso do hífen em palavras compostas que não contêm elemento de ligação e constituem unidade sintagmática e semântica, mantendo o acento próprio, bem como naquelas que designam espécies botânicas e zoológicas:
ano-luz, couve-flor, asa-de-papagaio, bem-te-vi, erva-doce, pé-de-atleta, segunda-feira, beija-flor, ao-deus-dará, tenente-coronel, comigo-ninguém-pode, (a) queima-roupa, mal-me-quer, pé-de-cabra,
água-de-colônia.
Observação: a partir de março de 2009, o VOLP (Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa), que pode ser acessado pelo site da Academia Brasileira de Letras, irá publicar a lista com as alterações nas palavras após o acordo ortográfico. Com isso, espera-se que alguma dúvidas, principalmente a respeito da questão do hífen, sejam dirimidas”.
Com tudo isso meus amigos e visitantes do blog, acredito ter passado o material que consegui até o momento acerca das mudanças ortográficas. Para mais informações, fique à vontade para acessar o VOLP através do site
http://www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=19

Bons estudos e muito BOA SORTE no aprendizado das modificações!!!!

Nenhum comentário: